Quando o profissional sabe o que faz… a confiança é certa!

Quando eu era criança, não gostava de ir ao dentista. Tornei-me adulta e confesso que ainda não aprendi a gostar. Mas hoje eu tenho consciência da importância desse profissional na vida das pessoas.

Fiquei encantada com o relato de uma amiga que levou sua filha para fazer frenectomia do lábio superior. Frenecto-o quê? Trata-se de um procedimento rápido e simples em que o dentista corta aquela “pelinha” que faz ponte entre a gengiva e o lábio superior. Mesmo para um adulto, só de pensar dá arrepios. Imagine para Fernanda, que tem nove anos.

Confiando na expertise da dentista, Luciana (minha amiga e mãe da Fernanda) seguiu a orientação de não informar à filha que ela estava sendo levada para a cirurgia. Disse que era uma consulta para saber se seria mesmo necessário operar e que, se fosse, marcariam outra data.

Acreditando nisso, Fernanda foi levada ao consultório sem resistências. E, antes de se sentar na cadeira (aquela que parece que foi arquitetada durante a Santa Inquisição), deixou que a dentista a examinasse.

– Olha que dentes bonitos! – Disse a Dra. Márcia, tentando ganhar confiança da menina. Vou colocar um pouco de geleia de laranja na sua gengiva. Claro que não era geleia. Era xilocaína para aliviar a picada da anestesia.

– Mas eu gosto de geleia de morango. – Disse Fernanda.

– Deixa eu ver se tenho de morango aqui. Vixe, Fernanda, geleia de morango acabou. Mas a de laranja é tão gostosa!

Convencida disso, Fernanda abriu a boca.

– Viu? Não é gostosa? – Disse a dentista. Agora deixa eu ver se é possível só desgrudar a “pelinha” ou se vai precisar cortar.

Fernanda abriu a boca.

– Não vai precisar cortar, não! Vou só desgrudar. – Mentiu a doutora, colocando a menina na cadeira.

– Fernanda, eu esqueci de cortar as unhas ontem e elas estão um pouco grandes. Mesmo com as luvas, pode ser que eu, sem querer, arranhe sua gengiva. Vou tomar bastante cuidado para isso não acontecer.

Ao discreto sinal da dentista, a assistente esbarra (propositalmente) no spot de luz e desloca a iluminação focada da boca para os olhos da Fernanda. Nesse momento, com total precisão e rapidez, a dentista coloca a agulha da anestesia na gengiva da menina.

– Ai! Você me arranhou com as unhas! – Gritou Fernanda, não percebendo que o incômodo que sentia era da agulha da anestesia.

– Desculpa! Essas unhas, viu? Como eu pude esquecer de cortá-las ontem?

Após alguns segundos, a dentista pediu novamente para que Fernanda abrisse a boca. E, já com o aparelho de corte a laser na mão, fez a incisão.

– Ai! Sua unha me machucou de novo! – Gritou Fernanda.

– De novo? A primeira coisa que farei ao chegar em casa hoje será cortá-las! Mas olha só, consegui desgrudar aqui. Está tudo certo!

Fernanda olha para a mãe com um sorriso e diz:

– Viu, Mãe! Não cortou e nem precisou de anestesia.

i7v2

O que pensar da postura profissional da Dra. Márcia? Não há dúvidas de que ela estava preparadíssima para cada etapa desse procedimento. E tudo começou antes de a Fernanda chegar ao consultório (quando orientou a mãe a dizer que estavam indo apenas para uma consulta). Depois, não teve pressa em colocar a menina na cadeira, ganhando a confiança da paciente. Além disso, já havia ensaiado com a assistente a “esbarrada” no spot de luz que serviria para ofuscar a vista da paciente. Uma única falha nesse procedimento poderia pôr tudo a perder.

A capacidade de dominar a situação faz toda a diferença entre o sucesso e o fracasso. E isso vale para qualquer profissão. Por exemplo, jogadores de futebol sabem que para marcar gol é preciso dominar a bola. Essa é uma competência que vale para todos: vendedores, consultores, cabelereiros, advogados… ou seja, para todo mundo que quer ser bem-sucedido.

Pequenos detalhes podem nos ajudar a cultivar relacionamentos de afeto e confiança. E é isso que queremos neste Blog, certo? Queremos alcançar um bom relacionamento entre profissionais (sejam individuais ou empresas) e clientes.

Você já passou por uma experiência de confiança? Conquistou ou foi conquistado? Ah! Conta para a gente! Vamos ficar contentes de saber o que pode ajudar a conquistar a confiança entre profissionais e clientes!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *