A questão da pipoca no cinema!

Duas semanas após a estreia do filme Jurassic World, a fila para comprar pipoca estava enorme. É isso o que acontece nos cinemas de sábado à noite, certo? Mas o que me chamou a atenção é que não havia ninguém para atender os clientes no caixa da bombonière. Após alguns minutos de espera, com o filme já para começar, os que estavam na fila começavam a dar sinais de impaciência.

Enquanto eu guardava nosso lugar na fila, meu marido foi verificar o que acontecia. E lá, de longe, eu o via conversando com alguém, mexendo os braços e apontando para a fila. Ele deu um sorriso e voltou para a fila rindo.

– Você foi reclamar com quem, Paulo? – Perguntei.

– Eu perguntei para o gerente onde estava o rapaz do balcão da pipoca. – Respondeu.

– E por que você está rindo?

– Porque ele me disse que o rapaz da pipoca estava no banheiro. Me questionei em silêncio se o funcionário lavou as mãos, independentemente de ser o “número um” ou o “número dois”. E aí? Você vai querer a pipoca salgada ou doce?

Muito engraçadinho esse meu marido, não? Conseguiu fazer a minha vontade de comer pipoca ir embora num passe de mágica. Justo eu, que sou fanática por pipoca.

– Só vou querer um refrigerante. – Respondi.

Gente! O que foi isso? Foi uma ótima estratégia para desmotivar a compra de pipoca. Não quero, de forma alguma, insinuar que o funcionário não tenha hábitos higiênicos. Mas é bem fácil pensar na possibilidade de as mãos não terem sido lavadas. Quem aqui nunca viu uma pessoa sair do banheiro sem lavar as mãos? Eu já vi, sim! E olha que era gente “chic”, viu?

Acho que o gerente do cinema deveria dizer que o funcionário foi ao estoque buscar canudinho, guardanapo, mais milho, sei lá! Qualquer coisa que não fizesse a conexão de banheiro com comida.

Quando chegou nossa vez de sermos atendidos, o rapaz perguntou nosso pedido.

– Eu quero um refrigerante. – Respondi.

– Algo mais? – Perguntou ele.

E aquele silêncio entre nós. Eu não me contive.

– Deve ser difícil estar sozinho para atender toda essa fila, não?

– Que nada. Não é difícil, não. Só que está um pouco tumultuado porque me pediram para ajudar com um sistema. Sou estudante de informática, sabe?

Ah! Então ele não estava no banheiro! Mas que raios de gerente é esse que não sabe que o coitado foi solicitado para ajudar em outra função?

– Eu também quero uma pipoca graaaaannnddeeeee! Bem graaandeee! – Respondi.

Você já teve alguma desmotivação repentina para comprar algo? Claro que sim. Todos nós já tivemos. Estou curiosa para saber a sua história também. Conte tudo nos comentários!

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.