Com quantos “não” se faz as normas da casa?

Minha amiga e eu estávamos ansiosas para conhecer a nova sensação da cidade. Mas, como não somos muito fãs de tumultos e filas, aguardamos um bom momento para visitar o novo empório gourmet .

O lugar era enorme, e logo percebemos que não sabíamos como as coisas funcionavam por lá. O local era dividido por categorias de comida: pasta, peixe, carne, pão, doce, café… Percorremos todos os cardápios para eleger o que seria do nosso gosto comum. Levamos uns 20 minutos para percorrer todas as seções. Quando nos decidimos pela pasta, a fila estava uma grandeza só. Mudança de planos, pois hora do almoço é controlada. Não podemos perder tempo. Então, escolhemos uma seção que ainda tinha lugar para sentar. Fomos à parte do empório que servia bruschettas e pratos rápidos.

O garçom pegou nosso pedido e perguntou se queríamos o couvert, ao preço de R$ 4 por pessoa. Sim! Claro que sim! Duas fatias de pão chegaram à mesa, embaladas por um saco branco de papel, acompanhadas por um filete de azeite derramado em um pratinho.

– Seria possível esquentar o pão? – Perguntei.

– Não, senhora! Nós só servimos frio. – Respondeu o garçom.

i17b

Que pena! Seria tão bom esquentar o pão na grelha em que faziam a comida. Era questão de dois minutinhos e meu desejo seria atendido.

Logo em seguida chegaram as bruschettas. Mas cadê o azeite? O garçom levou embora. E lá fomos nós pedir o azeite de volta.

Minutos depois chegou o prato principal. Mas cadê o azeite que estava aqui? De novo tinham levado embora.

Chamei o garçom e disse:

– Poderia deixar uma garrafinha de azeite na mesa, por favor? Todos os pratos que pedimos vão bem com o azeite.

– Não, senhora! Não podemos deixar uma garrafa de azeite exclusiva para cada mesa. Esse azeite é artesanal e custa caro, e não temos para todas as mesas. Por esse motivo, sempre traremos a garrafa quando vocês precisarem do azeite. Normas da casa.

Eu não perguntei se o azeite é caro. E como a Meca dos produtos importados gourmet vai “racionalizar” o uso do azeite que já deveria estar computado no preço dos pratos?

i17d

Mas sou uma pessoa que não perde o bom humor por pouco. Então, para não desrespeitar as normas da casa, fiz o garçom trazer o azeite todas as vezes que dava uma garfada. Fiquei até com os braços doloridos no dia seguinte (hehehe!). Preciso informar que aquela seção de comida não estava cheia. Havia garrafinhas de azeite suficientes para todas as mesas ocupadas.

Ao pedir pela sobremesa, o garçom responde apontando para o outro lado do salão.

– As senhoras têm que ir naquela seção de doces. – Informou.

Fechamos a conta e fomos atrás da nossa sobremesa.

Decidimos por algo que dava para ser dividido. E, enquanto a Ligia comprava o doce, eu fui para a fila do café. Fiz o pedido de um espresso e um macchiato.  Apesar de serem dois cafés, recebi só um copinho de água com gás. Por quê? Porque, pelas normas da casa, o macchiato, que não passa de um espresso com espuminha de leite (e que custa mais caro), não dá direito ao copinho de água com gás.

i17a

Logo em seguida, vejo a Ligia equilibrando uma bandeja com o doce que havíamos escolhido.

Ela colocou o doce na mesa e se preparava para cortá-lo em duas metades.

– Por que você não pediu para eles cortarem para a gente, Ligia? – Perguntei.

– Eu pedi. Mas não cortam! Normas da casa. Mas me deram essa faquinha aqui. – Respondeu a minha amiga, mostrando a ferramenta.

i17c

Eu sou a favor de padronizar atendimentos, mas não com “normas da casa” que não levam à satisfação do cliente.  Nunca recebi tanto “não” no mesmo lugar, por pessoas diferentes, em tão pouco tempo. Pagar o equivalente a R$ 70 por pessoa significou um almoço rápido, três filas e várias chamadas do garçom para trazer o azeite.

Além disso, quando uma cadeia internacional se instala em um país, deveria se adaptar à cultura local, e não chegar com tantas “regras” sem saber se agradarão aos novos clientes, certo?

A comida era boa? Sim, era boa (embora nada de excepcional). Mas não vale tamanho esforço. Conheço lugares melhores que custam menos e não deixam de mimar o cliente.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.